Council for the Development of Social Science Research in Africa
Conseil pour le développement de la recherche en sciences sociales en Afrique
Conselho para o Desenvolvimento da Pesquisa em Ciências Sociais em África
مجلس تنمية البحوث الإجتماعية في أفريقيا


APELO A CANDIDATURAS : Ateliê sub-regional de metodologia em Ciências Sociais em África (Sessão especial para os Países Africanos Lusófonos, 2016)

Number of visits: 1098

Tema: Metodologias de pesquisa e propostas de Teorização em Ciências Sociais em África

Data: 25-29 de Abril, 2016
Local: Praia, Cabo Verde

Uma das grandes fraquezas da pesquisa em ciências sociais em e sobre a África consiste na pouca atenção dedicada às questões metodológicas, que permitam desenvolver projectos de qualidade e teorizar sobre as realidades observadas. Esta fraqueza manifesta-se numa altura em que as dinâmicas sociais que configuram a luta por uma outra imagem da complexa situação vivida no continente reclamam um maior aperfeiçoamento dos procedimentos e instrumentos de investigação e de análise. É muito comum encontrar estudos nos quais os procedimentos científicos são ignorados, sob pretexto de um imediatismo específico que leva à exclusão das análises sobre as realidades sociais africanas dos grandes debates sobre a ciência e sua validação.

O objectivo de ampliar a quantidade de trabalhos produzidos por cientistas sociais africanos parece ter sido alcançado. O principal desafio hoje é o da qualidade, da divulgação destes trabalhos em publicações internacionais e de como evitar uma divisão global do trabalho na área da produção de conhecimentos que subalterniza a produção cientifica dos africanos, limitando-os às tarefas empíricas, enquanto as tarefas de construção de teorias e de construção de significados são dominadas por estudiosos externos ao continente. O trabalho do jovem cientista social africano ainda é muitas vezes regido por quadros teóricos tomados de empréstimo de estudiosos de outros lugares, manifestando pouco esforço para dar passos em direcção à construção de referenciais teóricos inovadores.

Mais do que uma prova da falta de capacidade de teorizar, este afastamento dos cientistas sociais africanos do trabalho de teorização é fruto da conjugação de vários factores: a conjuntura político-económica do continente, a persistência de uma atitude colonial que procura secundarizar o conhecimento teorizado em África, entre outros. Na verdade muitos estudiosos e muitos trabalhos na era pós-independência contribuíram significativamente para a compreensão global das estruturas e processos pré-coloniais e coloniais da África, bem como das suas nascentes realidades pós-coloniais. Infelizmente, práticas generalizadas de trabalhos de consultoria por pesquisadores africanos têm vindo a reduzir a produção académica no continente a um modo de escrita que muitas vezes não ultrapassa a análise empírica dos dados, carregado de recomendações políticas, evitando qualquer dimensão crítica sobre as condições iniciais do trabalho. A ’profissionalização’ da formação universitária tem igualmente contribuído para este problema por impedir que a preparação que os estudantes universitários recebem no continente se aventure em desenvolver as habilidades críticas e de reflexão e à exposição ao trabalho contemplativo, escapando ao puramente prático.

O CODESRIA na sua acção de formação tem procurado incentivar os cientistas sociais africanos a revisitar e discutir os fundamentos teóricos do actual conhecimento sobre a África, de forma a pôr termo às indulgencias que se têm revelado prejudiciais à actividade científica e que se manifestam dentro e fora deste continente, e dar um novo impulso às ciências sociais aqui desenvolvidas através de programas de apoio direccionados para jovens pesquisadores. Neste quadro, afigura-se vital e urgente discutir os fundamentos metodológicos e teóricos dos nossos conhecimentos actuais, injectando novas dinâmicas às ciências sociais em África. A introdução de um seminário sobre metodologia de pesquisa e teorização é baseada na compreensão dos problemas enfrentados pelo continente africano, bem como nos desafios da construção de futuros mais prósperos.

A sessão de 2016 do Seminário de metodologia do CODESRIA é destinada essencialmente àqueles que ensinam a metodologia de pesquisa nas universidades e/ou centros de investigação dos PALOP e propõe-se contribuir para melhorar as capacidades de pesquisadores africanos em termos de aplicação de metodologias de pesquisa e de construção de teorias, proporcionando-lhes uma introdução ao processo de teorização, expondo-os a contribuições de estudiosos africanos nas ciências sociais e levando-os a tomar medidas práticas para sistematicamente construir ou contribuir para a construção de teorias em sua área de pesquisa.

O seminário foi ainda pensado como um espaço crítico de partilha de experiências entre os que já são “iniciados” nas técnicas de pesquisa ou em debates que abordam questões epistemológicas e empíricas para uma imaginação científica rigorosa. Ele oferecerá não só uma perspectiva sobre o estado das artes, como proporcionará a ocasião para uma revisão crítica dos procedimentos, instrumentos e teorias contemporâneos de pesquisa. A questão central a ser abordada pelo seminário pode ser resumida da seguinte forma: como estabelecer uma ligação produtiva entre a teoria e a investigação empírica, tomando em consideração o estado actual dos conhecimentos e das técnicas disponíveis?

A edição especial para os Países Africanos que falam a língua portuguesa é destinada a doutorados, ou investigadores seniors e professores que se encontram no meio ou numa fase avançada da sua carreira profissional, e que residam em Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique ou São Tomé e Príncipe. A língua de trabalho será o Português. A sessão será dirigida por um/a Director/a, apoiado por uma equipa de dois professores, todos eles de reconhecida competência no tema do seminário.

Os investigadores e universitários seniores que desejam ser pessoas recurso são convidados a enviar ao CODESRIA um pedido indicando o seu interesse, o seu CV e um resumo das questões que pretendem abordar nas duas lições de duas horas cada. O resumo a enviar deverá ser suficientemente detalhado de forma a permitir ao Director/a do seminário preparar uma compilação de textos que seja útil às pessoas que coordenarão os seminários e a todos os participantes. A equipa pedagógica, para além da preparação dos cursos, deverá propor aos/as bolseiros/as uma recolha de textos sobre o tema do seminário.

Os candidatos ao seminário devem apresentar uma candidatura que inclua os seguintes elementos:

1. Uma carta de candidatura indicando o tema de pesquisa ou a área de interesse do candidato;
2. Uma proposta básica de pesquisa (cinco páginas no máximo), caso exista, apresentando claramente a problemática que se procura estudar, a pertinência do tema no contexto em que se quer desenvolver a pesquisa, o quadro teórico a utilizar, a revisão da bibliografia, bem como os referentes metodológicos a utilizar;
3. Um curriculum vitae detalhado e actualizado (5 páginas máximo).
4. Duas cartas de recomendação:

  • a) uma carta do director de tese ou de um outro supervisor mostrando a pertinência do projecto de pesquisa, o estado de avanço da mesma e a(s) abordagem(ens) metodológicas e os resultados esperados ;
  • b) uma carta de um outro professor sobre os méritos e o potencial académico do candidato.

5. Uma carta de filiação institucional.

A selecção dos dossiês far-se-á em função do carácter inovador da proposta de pesquisa, ou da matéria que lecciona, do equilíbrio de género e da repartição geográfica.

A data limite para a apresentação das candidaturas é 15 de Março de 2016. Todas as correspondências devem ser enviadas a:

Codesria Sub-regional Methodological Workshops
CODESRIA,
Avenue Cheikh Anta Diop Angle Canal IV,
BP 3304, CP 18524
Dakar, Senegal.
Tel: +221-8259822/23—Fax: +221-8241289
E-Mail: methodological.workshop@codesria.sn




Comments